•   17/08/2010
     
    10
     
    alexa

     Nothingandall    

    http://nothingandall.blogspot.com
    CategoriaEntretenimento
    Votos: 2 | Seguidores: 0
    Parcerias: Sim |  e-mail: nothingandall@gmail.com
    Descrição: Amor, morte, poesia, política, actualidade, futebol, efemérides, solidão, paz, humor, musica...tudo e nada; Here we talk about life, love, death, On this day in History, poetry, politics, football (soccer), solitude, peace, humour, music ... nothing and all.
    Comentários(0) | Reportar | Twittar | Proprietário | Seguir
    •  Últimos Feeds:
       



    • Negra - Noémia de Sousa

      Gentes estranhas com seus olhos cheios doutros mundosquiseram cantar teus encantospara elas só de mistérios profundos,de delírios e feitiçarias...teus encantos profundos de...

       19/09/14 - 21:18 |

    • MENINA VESTIDA DE NOITE - Maria Rosa Colaço

      Menina de preto tão triste! tão! corpinho de fome olhinhos da luade lua de luto da lua de dómenina de pretotão triste! tão só!menina, meninatão rica de...

       18/09/14 - 20:42 |

    • Poema X de Brasões [Fim de tarde serena e violentada] - Bernardino Lopes

      Fim de tarde serena e violetada ... no céu — duas estrelas, e arrepiosna safira do mar, toda coalhadade emaranhados mastros de nos. longe, entre névoas, traços fugidiosde um...

       17/09/14 - 20:47 |

    • Musical suggestion of the day: Ana Moura - Rumo ao Sul

      Rumo ao sul by Ana Moura on Grooveshark Ana Moura nasceu em Santarém a 17 de setembro de 1979. ...

       16/09/14 - 20:48 |

    • Poema do Silêncio - José Régio

      Sim, foi por mim que gritei. Declamei, Atirei frases em volta. Cego de angústia e de revolta. Foi em meu nome que fiz, A carvão, a sangue, a giz, Sátiras e epigramas nas paredes Q...

       16/09/14 - 20:44 |

    • O Artista - António Carneiro

      Da saleta na luz esmaecidao perfil se lhe esbate, eterizado.toca... e o seu gesto é, como o som, alado...e a música é mais funda e mais diluída...em tarantela mágica...

       15/09/14 - 20:48 |

    • Loveliest Poem - Arvo Turtiainen

      The loveliest poem is bornwhen you are close to someone,when tenderness,simple and boundless,without questionsflows from one to the other. You do not forget the loveliest poem.It is stamped on your fo...

       15/09/14 - 20:47 |

    • O Relógio - Rubem Alves

      Eu tinha medo de dormir na casa do meu avô. Era um sobradão colonial enorme, longos corredores, escadarias, portas grossas e pesadas que rangiam, vidros coloridos nos caixilhos das janela...

       14/09/14 - 20:54 |

    • Voltando à Casa - Padre António Tomás

      Passei um mês, um mês inteiro, forado meu lar, sem ouvir os passarinhos,sem ver o louro bando de amiguinhosque aí deixei! triste e cruel demora.mas, afinal, eis-me de volta agora,e ...

       14/09/14 - 09:45 |

    • Bilhete para amigo ausente - Natália Correia

      Lembrar teus carinhos induz a ter existido um pomar intangíveis laranjas de luz laranjas que apetece roubar. teu luar de ontem na cintura é ainda o vestido que trago seda imaterial seda ...

       12/09/14 - 20:47 |

    • Como se podem influenciar conclusões através de estatísticas...

      O jornal «A Bola» de hoje a propósito da seleção nacional de futebol e sobre a «performance« dos treinadores diz que «apenas Humberto Coelho, Jos&eac...

       12/09/14 - 12:41 |

    • Noites Amadas - Auta de Souza

      ó noites claras de lua cheia!em vosso seio, noites chorosas,minh’alma canta como a sereia,vive cantando n’um mar de rosas;noites queridas que deus prateiacom a luz dos sonhos das ne...

       11/09/14 - 20:33 |

    • Nirvana - Antero de Quental

      A Guerra JunqueiroPara além do Universo luminoso,Cheio de formas, de rumor, de lida,De forças, de desejos e de vida,Abre-se como um vácuo tenebroso.A onda desse mar tumultuosoVem ...

       10/09/14 - 20:45 |

    • Aprendizado - Ferreira Gullar

      Do mesmo modo que te abriste à alegriaabre-te agora ao sofrimento que é fruto delae seu avesso ardente. Do mesmo modoque da alegria foste ao fundo e te perdeste nelae te acha...

       09/09/14 - 22:21 |

    • Nihil - Guimarães Passos

      Sem aos outros mentir, vivi meus diasdesditosos por dias bons tomando,das pessoas alegres me afastandoe rindo às outras mais do que eu sombrias.enganava-me assim, não me enganando;fiz do...

       08/09/14 - 20:42 |

    • Realidade - Isabel de Sá

      Por causa de um livrovieste ao meu encontro.era verão, não sabias de nadanem isso interessava. palavrasamavam-se fora de ti,no atropelo das emoções.lá ; chegaria a pr...

       07/09/14 - 20:21 |

    • Ao longe os barcos de flores - Camilo Pessanha

      Só, incessante, um som de flauta chora,viúva, grácil na escuridão tranquila.-perdida voz que de entre as mais se exila-festões de som dissimulando a horana , ao long...

       07/09/14 - 13:06 |

    • Oásis - Pedro Homem de Mello, na passagem dos 110 anos do nascimento do poeta po

      Aquela praia-contrastre a liberdade e a lei(aquela praia ignorada!)foste tu que ma mostrasteou fui eu que a inventei?lençol de seda ou de linho?lençol de linho bordado?deitei-me nele ao...

       06/09/14 - 11:18 |

    • Madrigal LIII [Tu és no campo, ó Rosa,] - Silva Alvarenga

      imagem daquiTu és no campo, ó Rosa,A flor de mais belezaDe quantas produziu a NaturezaQue em tuas perfeições foi cuidadosa.E se Glaura formosaNo seio dos prazeres te procur...

       04/09/14 - 21:46 |

    • a criança em ruínas I - José Luís Peixoto

      fico admirado quando alguém, por acaso e quase sempresem motivo, me diz que não sabe o que é o amor.eu sei exactamente o que é o amor. o amor é saberque existe uma p...

       03/09/14 - 20:13 |